sexta-feira, 24 de junho de 2011

Apenas




Fotografia Flavio Pettinichi - 2011




Apenas algum retalho de tempo escondido nas sombras
Apenas algumas vasilhas quebradas e uma flor morta
Apenas um silêncio engasgado na garganta da noite
Apenas um poema coagulando no espinho dorsal da rosa

E nós apenas esta imensidão de mistérios escuros
Nós este labirinto de sentimentos escusos sem sentidos
Apenas nós esta ferida aberta na fé sem êxodos ou preces
Nós apenas que desdenhamos as pétalas murchas das palavras

Porque a poesia é apenas uma caricia ensangüentada de ternura
Porque a poesia é apenas um barco sem leme nem gaivotas
Porque a poesia esfaqueia os tolos e condena os beijos mortos
Porque a poesia é apenas uma razão resguardada na loucura

Apenas...

Flavio Pettinichi – 21 de junho de 2011

Um comentário:

Anna Amorim disse...

Flávio,

Um oração cética!

"E nós apenas esta imensidão de mistérios escuros
Nós este labirinto de sentimentos escusos sem sentidos
Apenas nós esta ferida aberta na fé sem êxodos ou preces
Nós apenas que desdenhamos as pétalas murchas das palavras"

Abraços com SAUDADES,